Pesquisa aponta rápido avanço do mercado de energia em direção à IIoT

Programa de Pesquisa Inmarsat contratou a Vanson Bourne — empresa especializada em pesquisa de mercado de tecnologia —  para entrevistar 750 executivos sobre as previsões da IIoT (Industrial Internet of Things) em escala global.

Entre os segmentos estudados, o mercado de energia é um dos que mais tem avançado em direção à consolidação da transformação digital.

IIoT no mercado de energia
Fonte: Programa de Pesquisa Inmarsat, 2018.

É uníssono o entendimento de que o mercado de energia marcha a passos largos rumo a um novo padrão de negócios, cada vez mais inclinado em perceber a tecnologia como viabilizadora do desenvolvimento sustentável.

Segundo a pesquisa, 90% dos executivos desse segmento (todos eles com posição de liderança e influência dentro de suas companhias) esperam que as soluções de IIoT, hoje em fase de piloto, já estejam devidamente implementadas até o final de 2019.

Nessa jornada, as distribuidoras de energia mostram-se mais adiantadas quando comparadas às empresas que exercem atividades de extração e exploração de recursos energéticos. Isso é justificado pelo histórico de quase duas décadas em que andaram lado a lado da Internet das Coisas, sobretudo na primeira década dos anos 2000, quando iniciaram progressos importantes no desenvolvimento e na configuração de redes inteligentes de energia elétrica (Smart Grids).

9 em 10 executivos acreditam que IIoT representa vantagem competitiva no futuroAlém disso, o estudo destaca o fato de as distribuidoras estarem mais próximas do consumidor final e, portanto, viverem mais intensamente as demandas por uma melhor experiência de consumo. As tecnologias de medição inteligente (Smart Meter) e a disponibilização de dados de consumo em tempo real são apenas alguns dos exemplos que revolucionaram esse mercado.

O estudo também mostra que as diferentes aplicações de IIoT vão ainda mais longe. Para 50% dos entrevistados, elas representam um importante meio para elevar os padrões de segurança de trabalho, sobretudo para as empresas de exploração.

Além disso, a tecnologia vem se firmando como aliada de peso na manutenção da saúde, no monitoramento de mudanças ambientais e no aumento da eficiência dos recursos. Essa última, por sinal, foi apontada por 69% dos executivos de distribuição de energia como um dos grandes benefícios advindos das tecnologias de IIoT.

Isso tudo, somado ao grande potencial para extrair e trabalhar dados com inteligência, faz dessas novas soluções tecnológicas uma aliada estratégica aos negócios. As distribuidoras passam a fazer mais com menos e, assim, alcançam maior lucratividade e eficiência.

Já é possível mensurar ganhos com as implementações

As empresas entrevistadas também informaram os ganhos já auferidos com a implementação dos projetos de IIoT . Em relação aos benefícios à saúde e segurança, 34% delas mensuraram aumentos no padrão de sustentabilidade ambiental em suas operações — atendendo obrigações muitas vezes de origem legal.

Além disso, 10% indicam já ter conseguido uma redução nos valores contratados junto às seguradoras, enquanto 35% acreditam atingir o mesmo feito em pouco tempo.

Esses dados são importantes na medida que tangibilizam na forma de ganhos financeiros o retorno sobre investimento em tecnologia de ponta.

Isso é fundamental para que o mercado, como um todo, sinta-se cada vez mais confiante em seus passos futuros rumo à transformação digital.

Conclusão

A tecnologia torna viável a união entre o desenvolvimento sustentável e o aumento da eficiência produtiva. A partir disso, é possível escalar uma nova geração de negócios capaz de atender com alto desempenho as mais diversas demandas que surgem especialmente do setor de energia.

Nos últimos 16 anos, as soluções de IoT desenvolvidas pela V2COM tornaram esse cenário uma realidade presente para as maiores distribuidoras de energia do país e do exterior.

A metodologia exclusiva de PoV, foi fundamental nesse processo, especialmente por posicionar a V2COM não apenas como uma fornecedora de tecnologia, mas sobretudo como parceira de inovação. Ao ter analisada a viabilidade econômica do projeto, antes mesmo de qualquer iniciativa de implementação, o cliente sente-se mais seguro, dedicando esforços financeiros e tempo apenas aos projetos com elevada probabilidade de sucesso.