Índice de Empresas Inteligentes 2018 aponta a jornada da IoT para 2019

O Centro de Tecnologia e Empreendedorismo de Harvard (TECH) sediou, em 2016, o “Simpósio de Inovação Estratégica: A Empresa Inteligente”, em que líderes de diversos segmentos desenvolveram uma lista de critérios para definir o conceito de Empresa Inteligente.

Empresas Inteligentes (critérios)

Com base nessa metodologia, foi lançado agora em novembro o Intelligente Enterprise Index da Zebra Technologies. O estudo busca entender onde as empresas estão em suas jornadas para se tornarem inteligentes. Para tanto foram usados 11 critérios:  Visão de IoT, Engajamento do Negócio, Parceiros Tecnológicos, Plano de Adoção, Gerenciamento de Mudanças, Aplicação de Ponto de Uso, Segurança, Implementação, Infraestrutura,  Gerenciamento de Dados e Inteligência.

Em setembro de 2016, o Centro de Tecnologia e Empreendedorismo de Harvard (TECH) sediou o “Simpósio de Inovação Estratégica: A Empresa Inteligente”, em que líderes de diversos segmentos desenvolveram uma lista de critérios para definir o conceito de Empresa Inteligente.

A pesquisa foi realizada com 918 tomadores de decisão de empresas globais de dez países: EUA, Reino Unido, França, Alemanha , México, Brasil, China, Índia, Austrália, Nova Zelândia. As companhias entrevistas integram os mais diferentes segmentos de atuação, entre os quais manufatura, logística, transporte e saúde.

86% das empresas irão aumentar os investimentos em IoT a partir de 2019

Comparado a 2017, o ano de 2018 auferiu aumento de 4% em relação aos investimentos globais em IoT. Em média, as empresas direcionaram U$4.8 milhões do orçamento para essas tecnologias, neste ano.

Entre os entrevistados, quase metade das empresas (49%) já está adquirindo novas soluções de IoT de forma massiva, com intuito de transformar digitalmente os negócios, ainda nesta década. 38% delas já possuem implantações das tecnologias em diversos departamentos e 55% consideram-se alinhadas com a visão da Internet das Coisas, inclusive já plenamente executando os planejamentos de IoT existentes.

49% das empresas estão no caminho para se tornarem Empresas Inteligentes, pontuando entre 50 e 75 na mensuração do Índice

Comparado ao estudo de 2017, este ano notou-se um aumento significativo no número de empresas que pontuaram mais que 75. Há 12 meses, eram 5% das entrevistadas; hoje são 11%. Elas alcançaram o patamar das chamadas “Empresas Inteligentes”. Aqueles que pontuam entre 50 e 75, estão no caminho dessa jornada.

A maioria das companhias está investindo em IoT para escalar a integração entre os mundos físico e digital, com foco em aumentar a visibilidade e facilitar a geração de insights vindos de dados.

Empresas Inteligentes (2017 - 2018)

Essa integração é fundamental, uma vez que diminui o lapso temporal entre a coleta das informações e a efetiva tomada de decisão que passa a acontecer em tempo real. Com isso, a experiência de consumo é melhorada, ao mesmo tempo em que se atingem patamares de eficiência operacional nunca antes experimentados pela indústria.

O ciclo de ajustes e correção de erros processuais foi reduzido a segundos e, dessa forma, o montante de recursos que se perde entre a identificação do problema e a solução caiu drasticamente. É esse o padrão de comportamento que se espera das empresas inteligentes.

82% das empresas compartilham informações das soluções de IoT com seus colaboradores mais de uma vez por dia

43% dos entrevistados disseram que esse compartilhamento de dados acontece em tempo real, o que representa um aumento de 38% em relação aos números do ano passado.

Entre os ganhos obtidos, as empresas conseguem elevar a precisão para gerar relatórios das redes de fornecedores, além de aumentar e melhorar a visibilidade da qualidade dos produtos. Mais dados, em tempo real, significa catalisar crescimento em razão da construção de estratégias menos estáticas, que se adequam melhor à dinâmica vivida pela empresa.

Monitoramento em tempo real tornou-se um padrão nas normas de segurança das empresas

58% das empresas informaram que estão sempre monitorando suas redes de IoT. Além disso, 69% delas passaram a adotar um posicionamento preventivo e proativo em relação à segurança de TI e o gerenciamento de rede.

Os líderes de TI orientam-se para nunca confiar e sempre verificar. Assim, recorrem ao chamado ZTP (Zero Trust Previlege) para resolver as novas demandas de segurança. Por esse mecanismo, eleva-se o padrão de verificação de quem está solicitando acesso aos sistemas. Com isso, diminui-se a superfície de ataque, eleva-se a interface de auditoria e, claro, reduzem-se riscos e custos para a empresa.

Leia também: 

Nesse contexto, 63% dos entrevistados estão investindo prioritariamente em segurança de IoT. Ao mesmo tempo, 66% colocam esforços financeiros para elevar sua capacidade de análise de dados coletados por essas tecnologias.

V2COM ajuda as organizações a se tornarem Empresas Inteligentes

O mercado reconhece a V2COM como parceira tecnológica estratégica no desenvolvimento, implantação e escala de soluções de Internet das Coisas. Sua metodologia exclusiva de PoV (Proof of Value) garante a viabilidade econômica dos projetos, escalando os resultados em menos de 4 meses após a implantação.

Ao longo de sua trajetória, a V2COM vem conectando milhões de dispositivos em escala global e, através de sua premiada plataforma de IoT, possibilita a tomada de decisão de forma instantânea, através da análise inteligente de dados.

Para saber mais, deixe seus dados e entraremos em contato