Por que minha empresa precisa de uma plataforma de IoT?

Com o processo de digitalização de processos cada vez mais consolidado e a transformação digital se tornando uma realidade para negócios dos mais diversos setores, as tecnologias de Internet das Coisas (IoT) tornam-se cada vez mais estratégicas dentro do ambiente organizacional. Por essa razão, a escolha dos parceiros e fornecedores certos está entre os pontos de maior relevância, uma vez que eles formam um dos pilares estruturais que viabilizam a implementação das soluções de IoT dentro das diferentes realidades de negócio que compõem o mercado.

As plataformas de IoT são atores fundamentais na transformação digital. Existe uma oferta relativamente abundante de opções o que, muitas vezes, pode dificultar a escolha dos tomadores de decisão das empresas.

No artigo de hoje, deixaremos um pouco mais claros os meios pelos quais é possível analisar a oferta de plataformas de IoT de modo a selecionar aquela que contenha as especificidades que melhor conversem com seus objetivos de negócio futuros. Para tanto, utilizaremos alguns dados e questionamentos publicados por recente estudo da McKinsey.

Plataforma de IoT deve se adaptar ao volume crescente de dados

As plataformas, no geral, são desenvolvidas para suportar uma vasta gama de programas e funcionalidades menores que conversam diretamente com as demandas de negócios ou resolvem problemas e ineficiências de processos. Através da interação entre softwares e hardwares, elas incluem ambientes operacionais, armazenamento, ferramentas de desenvolvimento e diversas outras funções. As questões de segurança também estão entre as pautas de maior atenção dentro das companhias que, diante de um número cada vez maior de dados, buscam se proteger de invasões e vazamentos.

O grande diferencial das plataformas é a capacidade de abstraírem funções comuns da lógica de aplicativos específicos. No geral, esses últimos só se concentram em atender problemas pontuais, ao contrário das primeiras que adicionam inteligência a uma gama de funcionalidades. Ao interagirem entre si, elas permitem a otimização dos resultados e a redução drástica no custo de desenvolvimento.

No caso específico das plataformas de IoT, elas estão adaptadas para monitorar, gerenciar e controlar aplicativos que se conectam a um número potencialmente vasto de terminais de coleta de dados, muitas vezes instalados em locais com algumas inconveniências estruturais, como conectividade irregular. Mais do que isso, o grande diferencial de algumas dessas plataformas é a capacidade de se adaptarem ao rápido crescimento no volume de dados trabalhados que, em pouco tempo, ascendem exponencialmente.

Custo da solução deve ser menor que o do problema

Um dos grandes problemas relatados por empresas que iniciam investimentos em tecnologias de IoT é uma aparente desconexão entre o que se propõe a inovação e o valor comercial percebido. A razão para isso é o fato de que a plataforma, isoladamente, não é suficiente para trazer o retorno esperado.

Na verdade, é fundamental que haja um mapeamento prévio das necessidades dos clientes e sobretudo o estudo da viabilidade econômica do projeto. Somente a partir disso, é possível configurar e adaptar as funcionalidades da plataforma de IoT para que ela possa atender de forma holística e estratégia a realidade específica daquela empresa.

A V2COM alcançou posição de destaque no mercado, justamente por sua elevada capacidade de adaptabilidade e por sua metodologia de PoV. Através dela, “o custo da solução deve ser sempre inferior ao custo do problema resolvido”. Esses dois pilares vem elevando significativamente a taxa de sucesso dos projetos e a segurança dos clientes que passaram a escalar as soluções num curto intervalo de tempo.

Então, como escolher uma plataforma de IoT?

A escolha deve partir do entendimento consolidado acerca da importância da estratégia de IoT dentro da realidade da própria empresa. Os líderes precisam estar seguros das demandas internas da organização e ter ao menos os principais problemas mapeados. Além disso, é fundamental que a cultura corporativa esteja disposta a passar pelas mudanças que certamente acontecem a partir do momento em que as implantações começam. Com isso feito, o trabalho de seleção dos melhores fornecedores torna-se muito mais fácil, elevando a assertividade das investidas em direção à transformação digital.

Somente após esse “olhar para dentro”, os líderes devem focar no mercado e analisar as ofertas disponíveis. É preciso se atentar não apenas à robustez tecnológica propriamente dita, mas também aos protocolos e padrões de segurança praticados e ao suporte adjacente oferecido aos clientes.

Veja também:

No momento seguinte, deve-se projetar a plataforma selecionada para além das necessidades atuais, verificando também o potencial de adaptabilidade às demandas futuras que a empresa certamente enfrentará. Isso é importante na medida em que soluções “monolíticas” e pouco flexíveis podem não ser as mais adequadas para uma realidade de mercado bastante dinâmica e comum a diversos segmentos de negócio.

No geral, as plataformas adaptáveis a diferentes ambientes apresentam maior eficiência, justamente por conseguirem acompanhar as inovações que nunca param sem a necessidade de grandes reestruturações futuras. Desse modo, reduz-se a complexidade de desenvolvimentos, diminuem-se custos de manutenção e, claro, eleva-se o retorno sobre o investimento.

Além dessas considerações estruturais que impactam diretamente o sucesso dos projetos, tanto no curto quanto no longo prazo, ainda existe uma série de questionamentos a serem postos em pauta para auxiliar a escolha. Nesse sentido, a McKinsey elaborou um guia de perguntas que certamente auxilia a organização dos líderes e a tomada de decisão.

Confira a seguir:

Dez principais perguntas a se fazer antes de escolher uma plataforma de IoT

 

plataforma de IoT

plataforma IoT
Fonte: McKinsey

Como visto, escolher a plataforma de IoT certa é uma decisão importante, especialmente porque será a partir dela que as empresas garantirão vantagem competitiva nos próximos anos. Os líderes e tomadores de decisão das organizações devem estar atentos tanto à realidade interna de seus negócios quanto a uma série de características dos fornecedores dessas soluções.

Afinal, mais do que nunca, os desenvolvedores das plataformas de IoT deixam de ser agentes terceiros e externos às estratégias, passando a assumir uma importante posição de parceiro estratégico cuja atuação pode perdurar por muitos anos.

Para saber mais informações da Plataforma de IoT da V2COM
e sua metodologia exclusiva de trabalho, preencha as informações abaixo.