A indústria de petróleo e gás está sendo revolucionada pela IoT

A indústria de petróleo e gás tem enfrentado vários desafios nos últimos anos. A queda do preço do barril diminuiu o fluxo de caixa tornando necessário reavaliar toda a estratégia em torno da exploração e da produção.

Nesse redesenho, as soluções digitais posicionam-se como importantes ferramentas que vêm revolucionando o modo como essas empresas lidam com as flutuações de demanda e de preços. Está mais do que claro para os grandes CEOs da indústria de petróleo e gás que a transformação digital é fundamental para readequar modelos de negócio, processos e operações de TI.

Como a IoT impulsionou a indústria de petróleo e gás?

A Research and Markets acredita que a IoT é uma das mais potentes aliadas do setor e representa a necessária renovação estratégica para se alcançarem novos modelos de negócios. Mais do que isso, ela permitiu a tomada de decisão de forma muito mais rápida e assertiva, além de elevar a eficiência dos processos e o nível de segurança das operações. Não é surpresa, portanto, que até 2023, o mercado global de Internet das Coisas para a indústria de petróleo e gás deverá ultrapassar 39,4 bilhões de dólares.

O acesso à informação em tempo real em locais remotos, por exemplo, é só uma das principais demandas das empresas do segmento que a IoT conseguiu resolver com a ajuda de sensores e softwares inteligentes. O gerenciamento de frotas e ativos, a manutenção preventiva, o monitoramento de tubulações e o gerenciamento de segurança são outras aplicações estratégicas que já tomaram conta das indústrias de gás e petróleo em todo o mundo.

1. Monitoramento remoto e gerenciamento de rastreamento

Como se sabe, a tecnologia de IoT permite a conexão de vários sistemas à rede e o envio das informações programadas de volta para um determinado dispositivo. Depois que todos esses dados são coletados de cada sistema é possível monitorar em tempo real o sistema geral, tudo isso através da análise inteligente feita nas plataformas de software.

A partir disso, alertas são enviados quando o sistema experimenta um mau funcionamento, situação de alta pressão ou qualquer outro problema perigoso que a companhia queira mapear.

Isso, obviamente, garante a otimização financeira dos processos. Números da Research and Markets apontam que, por ano, o setor perde até 8 bilhões de dólares em tempo não produtivo, já que os engenheiros passam ao menos 70% de seu tempo procurando dados e trabalhando em sua manipulação.

2. Sistema de gerenciamento de frota em tempo real

A Internet das Coisas permite rastrear, em tempo real, o local exato onde um equipamento está. Com isso, qualquer ocorrência de dano operacional ou ambiental fornece dados imediatos para que o sistema de geolocalização possa analisar e tomar ações de forma automática.

Dessa forma, garante-se muito mais rapidez no tempo de resposta aos eventuais problemas, permitindo o acionamento imediato de equipes técnicas que irão ao local com muito mais agilidade e segurança.

3. Verificação de equipamentos e manutenção preventiva

Uma enorme quantidade de capital é investida na aquisição de ativos altamente específicos para suprir as necessidades operacionais da indústria de petróleo e gás. Mais do que isso, a manutenção desses ativos compromete grande parte da receita das empresas.

Uma simples falha de funcionamento em uma bomba pode custar até 300 mil dólares por dia. Já as pausas não programadas das refinarias por motivos técnicos chega a comprometer 20 bilhões de dólares da indústria todos os anos, algo estimado em 5% do custo de produção.

Leia também:

Por essa razão, a análise preditiva de dados e o rastreamento em tempo real de falhas de equipamentos são um dos grandes benefícios reportados por empresas do setor que passaram a adotar as novas tecnologias em sua operação.

As plataformas de IoT são programadas para enviar alertas sempre que um ativo esteja com necessidade de manutenção. Essa programação toma como base o cruzamento de uma série de dados que são coletados em tempo real nos locais de exploração e de produção. Assim, de forma inteligente e totalmente automática, evitam-se paradas repentinas e desnecessárias, sempre muito custosas.

Esses sinais de alerta reduzem os custos operacionais das companhias do setor, além de melhorarem a eficiência dos equipamentos que passam a ter um tempo de vida útil significativamente maior. Tudo isso, claro, faz com que o ROI dos projetos de IoT sejam sempre bastante expressivos.

Leia também:

PoV: custo da solução sempre menor que o do problema

4. Ambiente Sustentável

Vários riscos ambientais, como resíduos e vazamentos, podem ser evitados, ou ao menos rastreados, com máxima celeridade através de tecnologia de IoT. Mais do que isso, a identificação mais rápida dos acidentes ou falhas pode gerar respostas automáticas previamente configuradas capazes de diminuir o impacto negativo sobre o meio ambiente.

Tudo isso garante a salvaguarda dos recursos naturais e das comunidades que vivem nas zonas de exploração, bem como evita que as empresas percam quantidades enormes de dinheiro para a recuperação dos danos causados pelos acidentes.

O que esperar da IoT no setor de petróleo e gás por região do globo?

A Research and Markets aponta que as indústrias de petróleo e gás da América do Norte estão na vanguarda em comparação a outras regiões do planeta. Em 2017 e 2018, foi especialmente nos Estados Unidos e México onde ocorreram os principais investimentos em Internet das Coisas no setor.

O mercado europeu, por sua vez, que já aplica essas tecnologias de forma bastante sólida, espera contar com vultosos investimentos em IoT, sobretudo nos países da Europa Central. A região é marcada pelo apoio positivo dos governos a esse tipo de inovação que, em parceria com a iniciativa privada, tem investido em novas formas para adaptar a indústria de petróleo e gás à nova dinâmica que o mercado impôs nos últimos anos.

Mas é na Ásia, sobretudo na linha do Pacífico, que se espera o crescimento mais acelerado dessas aplicações nos próximos anos. O mercado asiático da indústria de petróleo e gás está bastante aquecido, especialmente pelo desenvolvimento de economias importantes da região, como Cingapura, Índia e Malásia.

Esses locais, sem deixar de lado a grande China, são vistos como pólos estratégicos de investimentos em IoT, especialmente até 2025.

 

 

 

 

 

0 Partilhas