Smart Farms: potencial bilionário brota do campo brasileiro

Segundo o Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações — hoje Ministério da Ciência e Tecnologia —, o uso de soluções de IoT no agro brasileiro movimentará entre US$ 5 bilhões e US$ 21 bilhões, até 2025. Como consequência, as chamadas smart farms alcançarão aumento de até 25% na produtividade e redução de 20% no uso de insumos. Foram essas as projeções apontadas por uma recente pesquisa da McKinsey encomendada pelo BNDES.

O agronegócio está entre os setores com maior potencial de se transformar a partir da incorporação das novas tecnologias de IoT. Responsável por mais de 23% do PIB brasileiro, de acordo com a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), as propriedades agrícolas do Brasil somam hoje uma área que ultrapassa mil campos de futebol.

No entanto, essa revolução só acontecerá na prática caso as operações e atividades do campo passem a operar de forma integrada e inteligente. Nesse cenário, é possível aumentar a produtividade sem perder de vista os mais altos referenciais de eficiência. Os custos tornam-se mais controlados e os insumos das lavouras (como a água para irrigação), usados com menos desperdício.

Isso tudo, claro, só se tornou realidade graças ao desenvolvimento de novas tecnologias que viabilizaram a transformação digital das smart farms ao redor do país.

Parceiro tecnológico: a escolha fundamental para o sucesso

Cada vez mais, o agricultor e o pecuarista demandam informações em tempo real que os auxiliem na tomada de decisão com elevada assertividade. A melhoria da infraestrutura tecnológica do Brasil — como conectividade, penetração móvel, imagens de satélite e alfabetização digital da mão de obra — tem cooperado estruturalmente para que o ecossistema agtech do país seja uma realidade prática. E nesse contexto, um número crescente de empresas tem desenvolvido novas soluções específicas para resolver as demandas que nascem do campo brasileiro.

Mas diante de tantas opções disponíveis no mercado, como o gestor agrícola pode efetivamente avaliar e escolher o melhor parceiro para alavancar a produtividade com tecnologia de ponta?

O primeiro passo é analisar de forma criteriosa as propostas aparentemente simples, que prometam resolver todos os problemas de uma fazenda com apenas um clique.

Leia também:
IoT reina mais uma vez entre tecnologias mais disruptivas 

Isso porque, no geral, essas ferramentas são desenvolvidas com o intuito de atenderem demandas de forma monolítica, ou seja, que possam ser usadas por um grande número de fazendas ao mesmo tempo, sem considerar as inevitáveis particularidades que cada cenário apresenta. Por essa razão, elas não costumam oferecer possibilidades de ajustes e customizações relevantes e, muitas vezes, não chegam a resolver as grandes “dores” que motivam os gestores agrícolas a procurar na tecnologia uma saída inteligente.

É fundamental que os gestores avaliem quais das soluções disponíveis são realmente construídas atendendo padrões de flexibilidade, ao ponto de se adequarem perfeitamente às demandas específicas, e não o contrário. Para tanto, o foco deve estar nos parceiros estratégicos que apresentem capacidade técnica e expertise suficientes para desenvolver sob medida uma série de funcionalidades, além daquelas comumente oferecidas pelo mercado.

Além disso, é preciso levar em conta o quão integráveis e adaptáveis esses sistemas são, de tal modo que possam “conversar” com o maquinário e sistemas já em uso, sem a necessidade de substituições muito onerosas.

Como a tecnologia pode ajudar as smart farms na prática?

A tecnologia de IoT possui infinitas aplicações no ambiente rural. O monitoramento das frotas, a segurança das smart farms e a reconfiguração/integração de toda a cadeia logística, desde a produção até a entrega dos produtos nos centros distribuidores, são apenas alguns dos exemplos de uso possíveis.

Além disso, com o desenvolvimento de sensores cada vez mais avançados, ficou simples coletar e processar um enorme número de dados em tempo real com elevada precisão. Eles podem, por exemplo, disparar alarmes evitando roubo de cabeças de gado à noite e monitorar tanques de combustível para indicar o exato momento para o reabastecimento de tratores e outras máquinas, evitando paradas inesperadas e custosas. Ainda, quando integrado a sistemas inteligentes, esses dispositivos permitem monitorar a frota e acompanhar remotamente para onde está sendo transportada a produção, de tal forma que qualquer desvio é imediatamente identificado.

Veja também:
Irrigação inteligente: mercado bilionário impulsionado pela IoT

Todas essas benfeitorias, entretanto, requerem esforço por parte dos produtores e das cooperativas agrícolas, que precisam estar abertas a mudanças estruturais em seu ecossistema de trabalho. Afinal, não basta incorporar a inovação de forma desordenada e pontual. A verdadeira transformação digital no campo requer estratégia, olhar global e bastante comprometimento das equipes envolvidas.

V2COM: a solução mais inteligente em IoT

Com mais de 17 anos de história, a V2COM consolidou-se no mercado nacional e internacional por ser um dos poucos fornecedores de soluções de IoT ponta à ponta. Com isso, é capaz de atender às mais diversas especificidades que cada projeto demanda.

Por desenvolver integralmente tanto hardware quanto software, a V2COM alcançou um padrão de tecnologia plenamente compatível com as inovações, integrando-se perfeitamente a diferentes realidades de forma bastante ágil e comprovadamente viável em termos financeiros.

Na frente de smart farms, a V2COM destaca-se, entre outras razões, por vencer de forma inteligente as barreiras de conectividade que ainda comprometem a eficiência no campo, garantindo aos gestores agrícolas soluções de alta performance, elevada rentabilidade e precisão na análise de dados.

 Conheça os projetos Agro da V2COM

 

Privacy Preference Center

%d bloggers like this: