Utilities aparecem como principais usuárias de IoT, aponta Gartner

A Gartner prevê que o mercado corporativo e automotivo de Internet das Coisas (IoT) alcançará 5,8 bilhões de terminais, em 2020. O montante equivale a um aumento de 21% em relação a 2019. Até o final deste ano, espera-se que 4,8 bilhões de terminais estejam em uso, 21,5% mais em relação a 2018.

  Quantidade de dispositivos de IoT (em bilhões). Gartner (Agosto 2019)

Na pesquisa, as Utilities aparecem como principais usuários dos dispositivos, somando 1,17 bilhões deles, em 2019. Até o final do ano que vem, devem apresentar 17% de aumento.

O diretor de pesquisa sênior da Gartner, Peter Middleton, explicou que a medição inteligente, tanto residencial quanto comercial, será a grande responsável por impulsionar esse crescimento entre as concessionárias.

Leia também:
Elektro reduz 60% do custo de leitura com IoT

Prevê-se, ainda, que a automação predial tenha a maior taxa de crescimento em 2020 (42%) — impulsionada por dispositivos de iluminação conectados—, seguida por automóveis e saúde, que devem crescer 31% e 29%, respectivamente. .

Uso por Região do Globo

A medição inteligente de eletricidade residencial será o principal caso de uso para China e Europa Ocidental, em 2020, e representará 26% e 12% do total de terminais de IoT, respectivamente. A América do Norte, por sua vez, fará maior uso dos dispositivos para incrementar a segurança, através da detecção de invasores com sensores de porta e janela.

A receita obtida com a eletrônica para a produção dos terminais de IoT totalizará US$ 389 bilhões em todo o mundo, em 2020, e estará concentrada na América do Norte, China e Europa Ocidental. Essas três regiões, juntas, representarão 75% do  faturamento total.

Os carros conectados reterão uma parcela significativa dos investimentos previstos com dispositivos de IoT, à medida que os fabricantes implementam a conectividade em uma porcentagem maior de suas linhas de produção. A vigilância por vídeo é outro caso em que o número de terminais de Internet das Coisas deve aumentar, visto que os governos estão cada vez mais preocupados com segurança pública.