[Dados]: Tecnologias digitais descomplicam gerenciamento de energia

Em sua terceira edição, o Relatório de Progresso Corporativo para Energia e Sustentabilidade 2020 analisa as oportunidades e os desafios que as empresas encontram no processo de transição energética e aplicação de tecnologias digitais. Para o estudo, foram entrevistados 265 profissionais de empresas com receita anual mínima de US﹩ 250 milhões.

O gerenciamento e a descarbonização da energia tornaram-se peças estratégicas centrais nos últimos anos, impondo-se como uma importante vantagem competitiva para as indústrias. Com a aplicação estruturada de diferentes tecnologias digitais, as empresas conseguiram finalmente transformar processos, unindo sustentabilidade e eficiência produtiva.

Veja também:
WEG e V2COM juntas por um Brasil 4.0

Nessa trajetória, os gestores de energia acumulam ainda mais importância dentro das organizações. Segundo o relatório, 87% dos entrevistados afirmam que a aquisição de energia está aumentando em escopo e complexidade, de tal forma que são necessários profissionais ainda mais especializados para lidar com as novas demandas.

Por essa razão, 56% dos participantes da pesquisa afirmam ter uma equipe dedicada ao gerenciamento de energia, capaz de lidar com o dinamismo do setor e principalmente com as novas tecnologias que surgem para otimizar processos, aumentar a segurança e a competitividade dos negócios.

Tecnologias Digitais Descomplicadas

Conforme o tema “energia” cresce em importância dentro das empresas, também aumenta a complexidade para lidar com uma grande quantidade de dados, seja para monitorá-los, processá-los ou gerenciá-los. Por esse motivo, ano após ano, as companhias estão investindo mais em tecnologias digitais capazes de reduzir essas complexidades.

Não à toa, o dobro do número de entrevistados (37%) em relação ao ano passado relatou usar dispositivos de IoT nessas tarefas, tais como medidores, sensores e outros dispositivos inteligentes. E, como resultado, 63% dos executivos que dispõem de soluções digitais relatam ter maior confiança em sua prontidão para inovações no gerenciamento de recursos

A pesquisa também revelou que 48% das empresas estão adaptando seus programas de gerenciamento de dados referentes à energia e sustentabilidade com base no crescimento de dispositivos conectados. Mesmo assim, ainda é alto o número de participantes (54%) que relatam usar planilhas para esse tipo de gerenciamento, embora sejam claros os benefícios em investir em soluções digitais.

Mais dados da pesquisa

• 46% dos entrevistados já estão prontos para lidar com futuras inovações no gerenciamento de energia

• 84% acreditam que o engajamento dos executivos tomadores de decisão é o fator mais importante para a aprovação e o financiamento de novos programas de energia e sustentabilidade

• 60% consideram energias renováveis “on site” e “off site” como uma estratégia de compra nos próximos três anos para gerenciar a volatilidade, com 30% dos entrevistados já implantando energias renováveis

• 70% têm estabelecidas metas de energia ou sustentabilidade, anunciadas publicamente. Em 2019, eram apenas 57%

• 75% aumentaram suas metas em relação às estabelecidas nos anos anteriores

• 30% dos CEOs acreditam fortemente que a resposta de suas organizações às mudanças climáticas será vantajosa para os negócios

Como se nota, o gerenciamento inteligente de energia, bem como as iniciativas em prol da sustentabilidade ganham cada vez mais espaço dentro das empresas. A alta liderança está debruçada em novos projetos que otimizem o uso de recursos naturais e, para tanto, está completamente empenhada em aplicar de forma sistêmica e estratégica as tecnologias digitais disponíveis.

Para ler o Relatório de Progresso Corporativo para Energia e Sustentabilidade 2020  na íntegra, clique aqui.


Assine nosso Conteúdo