Soluções SDx: uma nova relação entre Software e Hardware

Soluções SDx (Software-Defined Everything ou Tudo Definido por Software) não se resumem à uma tecnologia única propriamente dita. Na verdade, elas são a combinação de várias delas, o que engloba desde a arquitetura de computação (SDC) e armazenamento (SDS), até a rede (SDN) e data center.

Ao contrário do que a nomenclatura pode sugerir, a ideia de que os softwares prevalecerão sobre os hardwares não deve ser interpretada de forma radical. Na verdade, as soluções SDx trazem uma nova forma de comunicação entre os dois, através de diferentes tecnologias de armazenamento, rede e arquiteturas de computação, cujos processos envolvem justamente a simbiose entre HW e SW.

Um de seus grandes ganhos está no fato de que as aplicações não ficam vinculadas a um hardware específico, além de que seu código permite configurar o equipamento em que serão executadas. Isso, claro, minimiza a dependência diante de um fornecedor único, o que pode impactar diretamente na redução de custos, além de possibilitar o uso expandido de hardwares genéricos e a adoção de protocolos abertos.

Soluções SDx no Brasil segundo o CPQD

As soluções SDx já são uma realidade em plena expansão. Projeções da Gartner indicam que elas devem movimentar até US$ 160 bilhões nos próximos cinco anos.

No Brasil, um recente estudo do CPQD (Radar Conecte-se ao Novo 2020) analisou a maturidade, o potencial de impacto e a perspectiva de adoção desta e outras 27 tecnologias consideradas relevantes para nossa cadeia de valor.

Semelhante ao que se verifica em outros países, os achados brasileiros corroboram a grande expectativa acerca do SDx: pelo menos 61% dos entrevistados consideram de alta à disruptiva sua perspectiva de impacto nos negócios.

Essa porcentagem, no entanto, varia segundo o setor da economia analisado. Para as Utilities, por exemplo, ela atinge 80%, enquanto no segmento financeiro, 89%.

A pesquisa ainda revela que 25% dos participantes consideram o SDx uma realidade de curto prazo (quando não, já em vigência). Eles defendem que a adoção estruturada do modelo, no Brasil, deve ocorrer em no máximo dois anos.

Principais benefícios do SDx

A implementação de um ambiente baseado em software já se mostrou bastante eficiente em diferentes realidades de negócios. Entre os principais ganhos auferidos com aplicações SDx, destacam-se:

  • Custos mais baixos

O uso de protocolos abertos permite limitar a dependência de softwares e hardwares proprietários.

  • Ganho de escala e flexibilização

O modelo SDx prioriza as necessidades de negócio, alocando recursos de infraestrutura de acordo com seu mapeamento e os requisitos das aplicações.

  • Integração de recursos de nuvem híbrida ou modelo multicloud

Conforme a demanda, é possível alocar níveis de trabalho em nuvens públicas ou privadas (ou ambas), mantendo concomitantemente a ampliação da velocidade e a integridade dos dados.

Conera™: Modelo SDx de ponta

A expansão do modelo SDx vem, sobretudo, das necessidades atuais de infraestrutura dinâmica, escalável, econômica e flexível, incompatíveis com as tradicionais arquiteturas de TI estáticas e monolíticas.

Esses requisitos são ainda mais importantes para o universo da Internet das Coisas (IoT), em que é preciso garantir a operação de um número cada vez maior de dispositivos e seus requisitos de conectividade inteligente.

Além disso, para serem competitivas, as soluções de IoT devem contar com custos operacionais enxutos e time-to-market reduzido, além de uma infraestrutura robusta de transmissão, armazenamento e processamento de dados. Isso, claro, sem falar nas diferentes customizações que os projetos demandam, na necessidade de conversar com os mais diversos sistemas legados e de atender a rigorosos padrões de segurança.

Veja também:
Radar Conecte-se ao Novo 2020 destaca impacto da estratégia Multicloud no Brasil

A plataforma Conera™ da V2COM, baseada em um conjunto de patentes (US 10.063.658, US 10.476.985 e US 2018/0262589), foi desenvolvida justamente para atender à totalidade desses fatores que impactam no sucesso das aplicações de IoT.

Ao se comunicar com os sistemas operacionais mais utilizados no Ecossistema de Internet das Coisas, a Conera™ elimina as complexidades das variáveis de Hardware, gestão e comunicação de dados, o que expande suas possibilidades de aplicação, de forma flexível e segura.

Plataforma Conera™ da V2COM

Ao garantir projetos de IoT simplificados e com custos operacionais menores, a plataforma Conera™ ainda proporciona retornos muito mais rápidos e auxilia as empresas e indústrias a focarem em sua principal expertise de negócio.


Conheça a Plataforma Conera™