Iluminação Pública Inteligente: IoT pela eficiência energética

Quando falamos em eficiência energética, ainda há muito espaço para investirmos no Brasil. Apenas para dar um exemplo, o último International Energy Efficiency Scorecard publicado pelo Conselho Americano para uma Economia Energeticamente Eficiente (ACEEE) analisou as políticas e o desempenho de 25 países com maior consumo de energia global.  O resultado? O Brasil ficou na 20º posição, mostrando haver um grande potencial para integrar a eficiência energética ao seu crescimento econômico através da implementação de diferentes iniciativas nos mais diversos setores.

ACEEE
Fonte: ACEEE

Dentro do contexto da eficiência energética, a iluminação pública está entre as áreas em que as tecnologias 4.0 desempenham maior impacto, ajudando os sistemas a ficarem mais eficientes, sustentáveis e menos custosos.

Estima-se que, no Brasil, existam ao menos 16 milhões de pontos de iluminação, concentrados especialmente nos espaços urbanos. Nos últimos anos, grande esforço tem sido desempenhado no sentido de substituir as lâmpadas tradicionais por LED, entre 45 e 60% mais eficientes. Mas a inovação promete não parar por aí.

A concessão do serviço de iluminação permitiria reduzir na ordem de 1,2% o consumo anual de eletricidade em todo o país, gerando uma economia de R$ 1,9 bilhão ao ano (cerca de R$ 38 bilhões em 20 anos).

A implantação de sistemas inteligentes de telegestão de iluminação pública é uma das principais portas para o mundo das Smart Cities. Essa revolução está se espalhando rapidamente pelo Brasil e, através do que há de mais avançado em IoT, sensoriamento e análise de dados, promete reestruturar os espaços urbanos, tornando-os mais sustentáveis e seguros.

Vantagens da Iluminação Pública Inteligente

Embora as tecnologias 4.0 estejam amplamente disponíveis no mercado, muitos municípios (a quem cabe a gestão da iluminação pública no Brasil) não têm recursos suficientes para incorporá-las por conta própria.

Por essa razão, têm sido cada vez mais comuns as chamadas Parcerias Público-Privadas (PPP), pelas quais a iniciativa privada pode contribuir com sua grande capacidade de investimentos de curto prazo e, sobretudo, com o fomento à inovação para atender inúmeras demandas de cunho social, econômico e ambiental.

Apenas para citar alguns exemplos, as novas tecnologias para iluminação pública proporcionam os seguintes benefícios:

  • economia de energia;
  • possibilidade de dimerização da luminosidade;
  • redução de até 50% nas contas públicas municipais;
  • aumento na sensação de segurança;
  • acionamento e desligamento das redes de iluminação à distância;
  • mensuração de performance e gasto energético;
  • atendimentos aos requisitos da Norma NBR 5101/2018;
  • diminuição dos gastos com manutenção (manutenção preditiva);
  • menor impacto ao meio ambiente;
  • menor poluição luminosa;
  • maior conforto visual;
  • melhoria na reprodução de cor nos pontos iluminados por meio da tecnologia LED;
  • aperfeiçoamento do uso do espaço público (praças, avenidas, prédios históricos, etc.), através de pontos mais bem iluminados.

V2COM: tecnologia de ponta para Smart Cities

Com o avanço das redes de comunicação no Brasil (cada vez mais estáveis e menos custosas), o processo de modernização da iluminação pública vai muito além da substituição das lâmpadas tradicionais por tecnologia LED. O maior potencial transformador reside na expansão dos sistemas de telegestão, sobretudo nos cenários urbanos onde há maior demanda pelo serviço.

Líder em soluções de IoT e Smart Systems há quase 20 anos, a V2COM disponibiliza aplicações exclusivas para iluminação pública. O desenvolvimento tanto do hardware de comunicação quanto dos sistemas de telegestão viabiliza a execução de comandos inteligentes à distância, reduzindo consideravelmente o consumo de energia.

Veja também:
Como a Internet das Coisas viabiliza as Smart Cities?

Através da automação de dimmers, por exemplo, é possível variar a intensidade da luminosidade de acordo com o anoitecer, inclusive criando-se regras específicas para as diferentes estações do ano.

Os sistemas ainda permitem identificar e antecipar a substituição de lâmpadas, acionar alarmes de segurança, mensurar o consumo de energia, executar acionamento remoto, entre uma série de outras funcionalidades.


Saiba Mais