Segurança da Informação é um desafio global quando falamos em transformação digital. As aplicações devem ser desenvolvidas com o objetivo de reduzir qualquer fragilidade e ponto de invasões, seja no momento da captação dos dados via sensores, seja no processamento e análise.

Com a chegada do 5G, a questão fica ainda mais sensível, visto que a nova rede fornece um padrão inédito de infraestrutura, capaz de revolucionar as aplicações de Internet das Coisas (IoT) nas mais diferentes verticais, como Indústria 4.0, Cidades Inteligentes, Agricultura 4.0, e muitas outras.

O 5G é um caminho sem volta, garantia de vantagem competitiva, redução de custos e níveis de eficiência jamais vistos. Ao mesmo tempo, reforça a importância de padrões de segurança ainda mais rigorosos, sobretudo se considerarmos o potencial de escalabilidade que essa nova realidade oferece.

Segurança no 5G: olhar caso a caso

Diferente do 4G (e das versões anteriores), cuja arquitetura segue uma abordagem ponto a ponto, a rede 5G tem inspiração nos atuais data centers, com arquitetura baseada em serviços.

Esse modelo fornece um quadro modular, com a possibilidade de serem utilizados componentes das mais diferentes fontes e fornecedores, ao mesmo tempo.

Por sinal, essa é uma das razões por não fazer tanto sentido pensarmos em um padrão único de segurança no âmbito do 5G, que seja válido para todo o ecossistema das soluções.

Leia também:
Conheça o Open Lab WEG/V2COM 5G

Isso porque o grande diferencial reside justamente nas particularidades de cada aplicação, nos diferentes níveis de complexidade e arquiteturas envolvidas no projeto. Somente a partir desse entendimento, caso a caso, é que se pode protocolar o melhor esquema de segurança.

O papel dos fornecedores de IoT na segurança do 5G

Num ambiente cada vez mais dinâmico, com soluções customizadas e aplicações variadas, os fornecedores de IoT assumem um papel de grande importância no desenvolvimento de projetos seguros abrangidos pelo 5G.

Além dos rigorosos padrões de segurança já presentes nas redes celular (os mesmos utilizados por bancos em transações eletrônicas extremamente sensíveis a ataques), os fornecedores podem adicionar outras camadas de proteção que mitigam de forma eficaz os riscos de invasões.

Essas camadas são construídas a partir de um olhar holístico sobre todo o projeto, não focando apenas em um único software ou dispositivo isoladamente. A autenticação de usuários, encriptação de dados e resiliência da rede são alguns dos diversos aspectos que, ao serem considerados em conjunto, elevam a segurança das soluções ofertadas.

Assim, enquanto as operadoras de telecomunicação trabalham na robustez e segurança da infraestrutura de rede e dos dados móveis, os fornecedores de IoT atuam sobre protocolos específicos para o desempenho seguro dos hardwares, softwares e serviços. Somados os esforços, as soluções usufruem de todo o potencial transformador do 5G, sem exposição às crescentes vulnerabilidades do mundo digital.

Conera™: a camada adicional de segurança em IoT da V2COM

O Conera™ é a plataforma da V2COM para aplicações em Internet das Coisas plenamente compatível com o 5G

Baseada em um conjunto de patentes, a plataforma foi desenvolvida para atender à totalidade dos fatores que impactam diretamente no sucesso das soluções de IoT.

Ao se comunicar com os sistemas operacionais mais utilizados no Ecossistema de Internet das Coisas, o Conera™ elimina as complexidades das variáveis de Hardware, gestão e comunicação de dados, o que expande suas possibilidades de aplicação, de forma flexível e segura.

O Conera™ se responsabiliza pelas particularidades de cada meio de comunicação e também por como fazê-las com as propriedades de segurança necessárias. Assim, para as aplicações, basta se preocupar em montar e processar os dados.