5G bate recorde com 10km de alcance de sinal

A rede 5G acaba de bater mais um recorde mundial. Desta vez, o feito aconteceu em Grand Island, Nebraska (EUA), após testes de campo realizados em diferentes cenários e condições pelas empresas Nokia, Qualcomm e UScellular.

Foram ultrapassados mais de 10Km de distância via tecnologia 5G de onda milimétrica de alcance estendido (banda mmWave de 28 GHz) através de rede comercial. As companhias conseguiram atingir uma média de velocidade de 1Gbps no downlink e cerca de 57Mbps no uplink. E mesmo a uma distância de 11Km da antena, ainda registraram velocidade de downlink de 748Mbps e 56.78Mbps de uplink.

5G Qualcomm
Fonte: Qualcomm

Um recente levantamento da S&P Global Market Intelligence sobre o calendário global de leilões 5G mostrou que 16 países, com certames planejados a partir deste ano, apresentam planos para disponibilizar espectro em  ondas milimétricas (mmWave), ou acima de 24 GHz.

O Brasil está nessa lista (em 26 GHz), ao lado da Austrália (26 GHz), Chile (28 GHz), Malásia (26 e 28 GHz), Nigéria (26 e 37 a 43 GHz), Canadá (26, 28, 37 a 40 e 64 a 71 GHz), entre outros.

Leia também:
V2COM passa a fazer parte da Qualcomm Advantage Network

Segundo a Qualcomm, a tecnologia 5G mmWave irá ajudar a diminuir a “exclusão digital”, oferecendo cobertura a áreas mais distantes e remotas, como zonas rurais e suburbanas, que ainda sofrem com importantes limitações tecnológicas.

“A Qualcomm está na vanguarda da condução da próxima geração de conectividade sem fio e, com este marco, habilitamos as operadoras e OEMs a oferecerem aos consumidores uma conectividade de banda larga 5G rentável, de alto desempenho e grande alcance”, disse Juho Sarvikas, vice-presidente e presidente (América do Norte), da Qualcomm.

Testes 5G no Brasil

No Brasil, o Open Lab WEG/V2COM é uma iniciativa pioneira para testar a rede 5G em um ambiente real de produção industrial.

Localizado em uma das fábricas mais automatizadas do Grupo WEG, em Jaraguá do Sul (SC), o projeto — que conta com a parceria da Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI) e da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) — avalia ao mesmo tempo uma rede privada 5G e uma convencional de operadora.

Para validar a qualidade e o modelo econômico das soluções desenvolvidas, a iniciativa vai utilizar a plataforma Nokia Digital Automation Cloud (DAC), que assegura uma rede privada confiável, de alta largura de banda e baixa latência, com recursos locais de computação de borda, serviços de voz e vídeo, bem como um catálogo de aplicações.

Os diversos casos práticos desenvolvidos no âmbito do Open Lab WEG/V2COM são fundamentais para consolidar o ecossistema da Indústria 4.0 no Brasil, servindo de base para aplicações reais em projetos de automação industrial.


Assine nosso conteúdo