Redes privadas acomodam versatilidade das aplicações indoor de IoT

Com o incremento na complexidade dos negócios, empresas de diferentes segmentos estão empenhadas em viabilizar a integração de seus equipamentos e customizar aplicações através de redes privadas.

Em operações em que há grande circulação de dados, esse tipo de rede mostra-se uma opção interessante, sobretudo em razão dos incrementos em segurança e maior proteção às informações. Nessa arquitetura, é preciso ter acesso ao firewall da empresa para obter os dados, o que, por si só, já minimiza ataques de terceiros mal-intencionados.

Além disso, as redes privadas asseguram uma conectividade mais estável, com menos interferências e maior controle. Essas características são especialmente importantes em operações críticas, com grande volume de dados em circulação e necessidade de baixíssima latência.

Algumas verticais do mercado, como indústria 4.0, mineração, logística, energia e gás, são potencialmente mais inclinadas para implantações de redes privadas. As aplicações costumam ser vantajosas por permitirem maior flexibilidade no atendimento a demandas específicas de cada empresa. Desse modo, a arquitetura de rede pode ser pensada de acordo com a operação ponta a ponta, o que traz muito mais eficiência em cada etapa da produção.

Redes Celular: flexibilidade para diferentes demandas

As tecnologias de conectividade celular já são bastante utilizadas em ambiente outdoor, sobretudo em razão de seu longo alcance, que ultrapassa dezenas de quilômetros.

No ambiente indoor, onde a distância não é um fator relevante de performance, é possível implantar células compactas que garantem cobertura de alta qualidade. Os dispositivos, sobretudo os compatíveis com tecnologia 4G (LTE) e 5G, beneficiam-se de protocolos de sinais com altos níveis de sensibilidade, capazes de transmitir dados às antenas locais com baixo consumo de energia, o que eleva a durabilidade das baterias e reduz custos.

Um outro aspecto fundamental no ambiente indoor, especialmente em aplicações críticas, é a garantia que a conectividade wireless oferece em relação à baixíssima latência. Isso porque os comandos de controle precisam ser extremamente precisos, com a certeza de que o tempo de resposta será quase imediato. Esses requisitos estão, muitas vezes, associados à segurança de trabalho, especialmente quando a interação homem-máquina não pode comportar erros.

A variedade de possibilidades que o ambiente indoor oferece, seja em chão de fábrica ou grandes armazéns e centros de distribuição, faz surgir a demanda por diferentes requisitos de largura de banda. Cada grupo de aplicações vai demandar uma especificidade diferente: algumas transmitem apenas alguns bytes de dados a cada segundo; já outras multiplicam esse volume milhares de vezes. Toda essa diversidade de banda deve ser facilmente suportada pela rede de comunicação celular para downlink e uplink.

Veja também:
Eficiência Energética 4.0 garante uma indústria mais produtiva e sustentável

A conectividade celular é também essencial para garantir a eficiência dos chamados veículos autoguiados (AGV). Como as redes móveis são fundamentalmente projetadas para atender operações em que há deslocamento dos dispositivos, elas garantem uma operação muito mais confiável e sem interrupções o que, por extensão, incrementa a segurança do ambiente e dos operadores.


Assine nosso conteúdo