Tecnologia digital para corte e religa de energia: mais segurança e eficiência

Por estarem imersas em um ambiente de forte regulação, as empresas do setor de energia são fortemente impactadas pelo grande desafio de gerar receita sem o aumento desenfreado das tarifas pela prestação dos serviços.

Além disso, a legislação aplicável ao setor impõe uma série de diretrizes com vistas a garantir a prestação de um serviço de qualidade, capaz de atender à demanda de energia com o máximo de efetividade possível.

Por essa razão, as concessionárias de energia estão em busca constante por novas tecnologias capazes de garantir a eficiência do serviço prestado com o mínimo possível de custos operacionais. Entre as principais inovações, destacam-se as soluções para telegestão, telemedição, corte e religa remoto de energia.

Esses avanços estão diretamente ligados ao desenvolvimento das redes celulares (com ampla cobertura nacional e internacional) nos últimos anos, que permitiu a escalabilidade de aplicações robustas e seguras, capazes de trazer para o ambiente digital rotinas, e até mesmo processos inteiros, antes oneradas pelas limitações custosas do mundo físico.

Digitalização do Corte e Religa de Energia

No caso específico do corte e religa de energia, a necessidade de deslocamento das equipes técnicas para o local do serviço acarreta diretamente custos operacionais mais elevados e, claro, mais tempo demandado para a execução da tarefa.

Além disso, a presença física dos trabalhadores para o corte de energia os torna muito mais vulneráveis, sobretudo em cenários de inadimplência recorrente. Não são raras as vezes em que as equipes técnicas são recebidas com bastante violência quando tentam interromper o serviço de distribuição de energia.

Em vista de todas essas complexidades, é possível hoje combater a inadimplência com tecnologia de ponta. Com comunicação celular (e bluetooth em algumas situações) os profissionais técnicos das companhias de energia podem realizar as ações de corte e religa à distância. Não é mais necessário ingressar nas instalações e propriedades dos clientes para a efetivação das tarefas.

O serviço remoto, além de acelerar toda essa dinâmica, permitindo que uma mesma equipe consiga operar vários pontos com muito mais efetividade e agilidade, ainda garante a segurança dos trabalhadores, que não ficam mais expostos aos riscos de sofrerem qualquer tipo de ameaça ou violência física por parte dos clientes inadimplentes.

Além disso, a tecnologia remota acelera o ciclo entre o vencimento da fatura e o efetivo encerramento dos contratos de prestação de serviço, o que garante importante redução de custos operacionais, sem a necessidade de deslocamentos constantes.

Os dispositivos que efetivam o corte e religa da energia podem ser instalados tanto no nível dos medidores de energia, quanto no ramal que efetiva a comunicação entre os postes da distribuidora e os clientes finais.

Veja também:
Como a tecnologia viabiliza os prosumidores nas Smart Grids?

Importante destacar que, no caso da instalação em âmbito do ramal, toda a operação se dá fora da propriedade do cliente, garantindo mais segurança e agilidade. Ainda mais, como a tecnologia é ajustada de forma individualizada, não há mais necessidade de desligamentos que possam acometer uma rede inteira de distribuição.

Além disso, mais do que os ganhos operacionais experimentados pela concessionária e a segurança das equipes técnicas, não se pode esquecer dos ganhos que a comunidade, como um todo, usufrui com a incorporação das tecnologias remotas.

Uma vez que os problemas são combatidos com mais celeridade, diminui-se o repasse da inadimplência para os clientes que assumem o compromisso de pagamento em dia, mantendo-se o valor das tarifas de energia.

MTE N1 e MTR N1: segurança e eficiência operacional

Solução completa para leitura remota do consumo de energia e corte remoto do serviço de fornecimento via tecnologia celular de baixo custo NB-IoT.

Com o MTE N1 é possível efetuar a leitura remota do medidor via comunicação PIMA, com o corte remoto do fornecimento de energia efetuado diretamente no disjuntor do medidor. Com isso, é possível reduzir importantes custos operacionais, diminuindo o deslocamento de profissionais para a execução das tarefas.

Já com o MTR N1, o corte é efetuado no nível do ramal com blindagem total à rede de energia. Há também a possibilidade de comunicação Bluetooth para corte do tipo walking-by. Desse modo, as equipes técnicas não precisam adentrar a propriedade dos clientes para interromper o fornecimento do serviço, o que lhes garante muito mais segurança.

MTE N1 e MTR N1 estão disponíveis em duas versões, monofásica e trifásica.