Novo recorde: experimento com LoRa envia dados a mais de 800 km de distância

Cinco anos após a introdução do LoRaWAN, a distância percorrida por pacotes de dados através da tecnologia continua quebrando recordes. Desta vez, um experimento realizado na Holanda por Thomas Telkamp, CTO da Lacuna Space, conseguiu atingir a incrível marca de 832 km.

Similar a tentativas anteriores, um sensor LoRaWAN foi acoplado a um balão com gás hélio de alta atitude que voou cerca de 200 km em direção à Alemanha.

Pouco antes de iniciar sua descida, a 38 km de altitude, um pacote de dados foi recebido por um gateway na República Tcheca, a mais de 800 km de onde partiu o sinal.

Entre as teorias que explicam o feito, destaca-se a formação de dutos de evaporação na atmosfera capazes de curvar sinais de rádio. O experimento prova que ainda existem possibilidades infinitas quando falamos em conectividade e Internet das Coisas.

LoRa é uma tecnologia de radiofrequência que permite comunicação a longas distâncias (em áreas urbanas 3-4 km de alcance, e em áreas rurais, até 15 km),  com consumo mínimo de energia.

Suas principais aplicações são sistema de IoT (Internet das Coisas) como sensores e  monitores remotos (pressão, luz, on-off, temperatura), sobretudo aqueles operados a bateria, de mensagens curtas e em alguns casos em locais de difícil acesso.

LoRaWAN é o nome dado ao protocolo que define a arquitetura do sistema bem como os parâmetros de comunicação usando a tecnologia LoRa.

Leia também:
[Dados]: Custos mais baixos potencializam a Internet das Coisas

No mundo ideal, o padrão de conectividade em IoT perfeito é aquele que consegue unir velocidade na transmissão de dados (independentemente da distância), elevados padrões de segurança, baixo consumo de energia e, claro, projetos financeiramente viáveis.

Mas, ao verificarmos o cenário real, muitas vezes é necessário dar mais peso a alguns desses aspectos em detrimento de outros, e apenas a análise caso a caso dos resultados esperados com a IoT poderá dizer qual opção de conectividade se encaixa melhor naquele contexto específico.

Frente à crescente competitividade vivida pelo mercado, é fundamental que as empresas e indústrias pensem em diferenciadores que garantam resultados mais eficientes. E quando falamos em projetos de Internet das Coisas (IoT), as diversas tecnologias de conectividade certamente são fundamentais para alavancar a vantagem competitiva.

Com tantas opções disponíveis, a escolha mais adequada para o padrão de conectividade em IoT precisa levar em consideração as especificidades de cada projeto, como o volume de dados a serem transmitidos e analisados, bem como a sua projeção de escalabilidade. Afinal, a escolha mais acertada de conectividade está diretamente ligada ao grau de sucesso que o negócio desempenhará ao longo do tempo.

Nessa trade-off tecnológica, quanto mais profundo adentrarmos nas diferentes fases de implementação dos projetos, mais fácil será manejar esse sistema de pesos e contrapesos que as opções de conectividade trazem consigo.