UIT aprova recomendação sobre IoT proposta pelo Brasil

Pelo documento é proposta uma classificação aos dispositivos de IoT com base no processamento e conectividade. A partir dela, são definidos os modelos de referência com os requisitos para arquitetura de software de cada uma das classes de dispositivos.

A recomendação internacional do modelo de referência arquitetônico para dispositivos de aplicações da IoT (ITU-T Y.4460) foi aprovada na reunião de abril da Comissão de Estudos 20 – “Internet das Coisas, Comunidades e Cidades Inteligentes”, do setor de normatização da União Internacional de Telecomunicações (UIT). A recomendação foi proposta e coordenada pelo Brasil.

A Anatel, como coordenadora da representação do Brasil em discussões internacionais de telecomunicações, por meio das Comissões Brasileiras de Telecomunicações (CBC), atuou com os agentes nacionais envolvidos na proposta e na negociação com os demais membros da UIT-T para a aprovação da recomendação.

Por ela, foi definida uma classificação dos dispositivos de IoT tomando como base as capacidades de processamento e conectividade. A partir da correlação das capacidades, são definidos os modelos de referência com os requisitos para as arquiteturas de software de cada uma das classes de dispositivos.

A recomendação é o primeiro resultado na área internacional de normatização da colaboração entre o governo brasileiro (Anatel e MCTIC), o setor privado (Instituto Cesar e Eldorado) e a academia (Inatel). O trabalho tem entre seus objetivos fomentar o ecossistema de IoT no Brasil. 

A UIT é a agência especializada da ONU em telecomunicações. O setor de normatização da instituição (UIT-T) conta hoje com cerca de 190 países e mais de 700 empresas entre seus membros. Para que uma recomendação seja aprovada é necessário que haja o “de acordo” de todos os membros.

O documento vai agora para revisão editorial e em seguida estará disponível gratuitamente nos seis idiomas oficiais da UIT.